Bate Papo com Nathalia Ferro

 " As mulheres são iguais  em qualquer corpo, podemos ser sábias, sensíveis, fortes e lindas " (Nathalia Ferro)


 "As mulheres são iguais em qualquer corpo, podemos ser sábias, sensíveis, fortes e lindas"

(Nathalia Ferro)



    
  
Nathalia Ferro é uma cantora maranhense que promete ainda ofuscar e incendiar o cenário da música local. Uma mulher como nós, que luta por dias melhores e não aceita ser desmoralizada com a injustiça. É polêmica, por defender o seu direito ao próprio corpo e por suas expressões individuais. É pequena no tamanho e gigante no talento. Guardem bem o seu nome. 

É ela que abre o nosso primeiro bate papo do ano, numa entrevista transparente e bem feminina!



Nathalia Ferro em um momento diva. (Fotos: Reprodução)
Hall das Divas: Nathalia Ferro por Nathalia Ferro? 
Nathalia Ferro: Mulher, artista e idealista.

HD: Você começou a sua carreira em 2004 e já se foram 10 anos de estrada. Qual o saldo desses anos de estrada? 
NF: Eu fiz um monte de coisas, habitei vários nichos culturais, de vários estilos e gerações. Conheci muita gente boa, vivi momentos ótimos, aprendi a ficar atenta a vibrações estranhas e gente aproveitadora; a entender e valorizar o que faço. Cresci enquanto pessoa e artista, e sigo mais segura de quem sou, porém ainda aberta a novas trocas e aprendizados. Eu gosto da minha história principalmente porque vejo nela uma coerência entre quem fui e o que venho me tornando.

HD: Você e o Phill Veras foram apontados como a "música maranhense da nova geração" marcada por um som mais poético e original. Qual a sua ótica do cenário musical maranhense hoje? Você acha que há pouca iniciativa, pouco apoio para os nossos artistas locais? E qual conselho você daria para quem ainda está no começo?
Nathalia e Phill: nova música maranhense (Fotos: Reprodução)
NF: Acho que a música autoral no Maranhão está indo no rumo de seu melhor momento. Houve uma inquietação muito interessante e isso resultou numa confluência e numa ebulição criativa que já começa a despontar em cenários fora do estado. A luta ainda é grande, mas o otimismo e a vontade de produzir, de se profissionalizar, e de alavancar o status de nossas produções e artistas tem vencido muitas batalhas. Os próprios artistas têm desenvolvido iniciativas, e isso de alguma forma desperta o interesse de outros profissionais e empresas que queiram investir em nossos trabalhos. Isso é a semente da formação de um mercado artístico multicultural no estado, que possibilite oportunidades e vida digna aos profissionais ligados à musica e à arte em geral. Já dá pra perceber movimentos dessa roda e a minha previsão é que as coisas melhorem ainda mais. A quem tá começando, eu recomendo paixão, esforço e estudo diário, humildade, auto-conhecimento, conhecimento de mercado e produção... E atenção aos descaminhos. 


EP Instante de Nathalia em lançamento exclusivo
 no site Musicoteca (Reprodução)
HD: Seu último trabalho "Instante (2013)", obteve uma boa receptividade pública e foi parar após alguns meses de lançamento no conceituado site Musicoteca, que descobre os novos talentos e safras de artistas nacionais. No disco, você tem alguma "canção xodó" ou que foi um divisor de águas para a sua carreira? 
NF: Todas elas são importantes, porque fazem parte de um trabalho mais íntimo e sincero. Mas Instante foi a primeira a anunciar que esse momento estava chegando. É uma composição de 2008, minha e do Rommel Ribeiro, e foi uma das primeiras letras que me veio exclusivamente para virar uma música.

HD: Com quem você gostaria de gravar uma música? Por quê?
NF: Com Marcos Lamy, Hermes,  Paulo César Linhares, Tiago Máci, Acsa Serafim, Marcos Magah, Phill Veras, Beto Ehongue, Nivandro, Adnon Soares. Porque me inspiram.  

HD: Hoje, sabemos que tudo que se é postado nas redes sociais, em segundos pode se tornar viral. A sua polêmica foto exibindo os seios houve uma repercussão nas redes e divergiu em opiniões. Uns apoiaram a causa e levantaram a bandeira contra a censura e a liberdade de expressão, outros consideraram a sua atitude vulgar, resolvendo assim denunciar e o Facebook apagar a sua publicação por diversas vezes. Com episódio o que você pôde depreender? O que na sua concepção é proibido e o que é liberado? 
NF: Deu pra perceber o quanto de opressão, desrespeito e hipocrisia continua vigorando em relação à mulher no exercício de seus direitos de liberdade e expressão. Eu ainda sinto vontade de vomitar quando de relance, em algum link de página no Facebook, vejo postagem ou anúncio do Orgulho Hétero, e de seu criador, o Rafael Aires (responsável pelas denúncias). É impossível não se chocar com o conteúdo misógino, racista, homofóbico e doentio dessa página, e não se questionar quanto ao fato de que eles exercem um direito de opressão legitimado em detrimento do direito de expressão das pessoas que perseguem. A gente se questiona sobre os parâmetros de moderação das mídias, e em até que ponto estes não estão subjugados a ordens repressoras e disseminadoras do caos, do desrespeito e da violência, já que estes conteúdos são largamente permitidos e divulgados. Eu continuo no meu posicionamento e na minha luta em prol de consciência, liberdade, respeito, direito ao próprio corpo e suas expressões individuais, proteção contra violências físicas e psicológicas, contra condicionamentos estéticos, contra tudo que rouba a mulher de si mesma, para torná-la escrava e refém de um sistema que corta suas asas na base de hipnose, humilhação e porrada. 
Por outro lado, a polêmica me ajudou a ver o quanto existe de gente amorosa, inteligente e desperta em relação a essa situação, e o amplo apoio que recebi, muito vindo de pessoas que eu nem conhecia, fez com que meus prognósticos se tornassem otimistas. 
De presente pra vocês, o poema que acompanhava a foto:

não nos rendamos ao mundo 
que nos quer escravas e irreais

somos belas porque possíveis
somos naturais
e satisfeitas
e por isso satisfazemos

"eu amamentei 
e emagreci depois do parto
meus seios contam muito
do que orgulhosamente
doloridamente
esplendorosamente vivi
e eu os amo
eu os vejo lindos, portanto"

você já amou algum homem perfeito?

eles nunca o são
e nem precisam
pois a beleza age também nas sombras

então intimamente penso
em mim como o bicho que sou

toda onça é mágica quando brinca
toda leoa é majestosa quando descansa
toda gata é sagaz quando caça
toda cadela é doce quando olhamos em seus olhos

As mulheres são iguais

em qualquer corpo podemos ser sábias, sensíveis, fortes e lindas

temos uma luz irremediável 
não catalogável 
descabida e inexprimível
porque agimos, deitamos, 
lutamos, e pressentimos como animais

se a loba é poderosa quando pula, 
quando range os dentes

nós também merecemos ser livres
e em qualquer corpo podemos criar, intuir, trilhar, amar, resistir, viver

e sorrir

porque somos fêmeas.*
*O poema é de autoria da própria cantora.

HD:No seu Instagram que você adora postar comida feita por você. Fora dos palcos, qual o seu hobby?
NF: Cozinhar realmente é uma coisa que eu adoro. Mas eu também gosto de ler, curtir minha filha, namorar, visitar minha avó, rir com os meu amigos, andar por aí.. 

HD: Quais são os seus projetos para 2014?
NF:  Lançar os dois discos que tenho programados para este ano e viver tudo que vier.

You Might Also Like

4 comentários